Motociclista sobrevive após ser atropelado e arrastada por motorista embriagado e sem CNH

Uma motociclista de 52 anos foi atropelada e arrastada por um motorista que estava embriagado, em Alto Paraguai, nessa segunda-feira. Uma câmera de segurança registrou o momento do acidente. Apesar da gravidade do caso, a vítima sobreviveu.

Segundo a Polícia Civil, o condutor do veículo, de 28 anos, não parou para prestar socorro à vítima, além de estar sob efeito de álcool e não possuir carteira de habilitação.

De acordo com a polícia, o suspeito foi localizado no Bairro Campo de Aviação, preso em flagrante e encaminhado para a delegacia do município.

A polícia também informou que, quando encontrado, o homem apresentava claros sinais de embriaguez, como odor de álcool, agressividade e exaltação.

Ainda de acordo com os policiais, a vítima sofreu escoriações pelo corpo e passa por cuidados médicos em uma unidade de saúde da região. O atual estado de saúde dela não foi informado.

A fuga do condutor do veículo, combinada com sua intoxicação alcoólica e a falta de uma carteira de habilitação, evidencia uma negligência alarmante e um desrespeito pelas leis de trânsito e pela segurança dos outros.

A prisão em flagrante do motorista de 28 anos pelo descumprimento de deveres básicos de cuidado, incluindo a omissão de socorro, sublinha a importância da aplicação rigorosa da lei para prevenir tais tragédias.

As características da embriaguez do suspeito, como o odor de álcool, agressividade e exaltação, são lembretes contundentes dos efeitos prejudiciais do álcool na capacidade de condução.

Enquanto a vítima recebe cuidados médicos, o incidente reforça a necessidade de campanhas de conscientização sobre os riscos da direção sob influência de álcool e a importância do cumprimento das normas de trânsito para proteger a vida e a integridade física de todos os usuários da via.

A comunidade deve unir-se em esforços de prevenção, e as autoridades devem continuar a trabalhar para melhorar a segurança nas estradas, garantindo que os infratores sejam responsabilizados por suas ações.

Via G1

Veja também
Recentes