VÍDEO: Unidade do McDonald’s é depredada ao lado de policiais, que não reagem

Ataque ocorreu na noite desta segunda-feira (4). Grupo de motociclistas atirou pedras no interior da loja. SSP afirma que policiais acionaram reforço para conter os agressores, ‘que estavam em maior número’. Grupo se dispersou após a chegada da viatura.

A unidade do McDonald’s na Avenida Ipiranga, no Centro de São Paulo, foi depredada na noite desta segunda-feira (4) por um grupo de motociclistas.

Segundo a polícia, os ataques ocorreram após um desentendimento entre profissionais que fazem entrega de comida por aplicativo e funcionários da lanchonete.

Vídeos registrados por quem passava pelo local mostram um grupo de rapazes atirando pedras dentro da loja.

Nas imagens, é possível ver que dois policiais militares que estavam ao lado do estabelecimento assistiram aos ataques e continuaram ali parados, sem fazer nada.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) afirmou que os policiais que estavam no local solicitaram reforço para dispersar os agressores, “que estavam em maior número, já que eles não possuíam equipamento de menor potencial ofensivo para controlar o tumulto” (veja o comunicado na íntegra abaixo).

Nota da SSP

“A SSP esclarece que nos dois casos noticiados, em uma lanchonete e em um bar na região central nestes últimos dias, não se tratava de furto ou roubo a estabelecimento comercial.

No caso da lanchonete, profissionais que realizam o serviço de entrega por aplicativo se juntaram para criminosamente depredar o restaurante por conta de um desentendimento com funcionários. Os indivíduos, que estavam em grupo, se dispersaram quando o reforço policial chegou ao local.

Em relação ao bar, no último domingo (3), a Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência de agressão na Avenida São João, região central da capital.

No local, identificou-se que após uma tentativa de um furto de celular, ocorrido em frente a um estabelecimento comercial, o infrator foi detido por populares, que o agrediram, o que levou outros suspeitos a apedrejar o local até que o criminoso fosse liberado.

A revitalização da área central de São Paulo e o reforço da segurança para os moradores e comerciantes são uma prioridade da atual gestão.

A presença e ações policiais ampliadas desde janeiro deste ano, resultou na reversão do cenário que tem apresentado queda desde abril.

De abril a outubro deste ano houve queda de 6,1% nos furtos e de 15,2% nos roubos em comparação ao mesmo período do ano anterior, o que significa que, neste ano, desde abril, mais de 1700 pessoas deixaram de ser vítimas de roubos e furtos naquela região quando comparado aos crimes registrados no mesmo período do ano passado.

O contingente policial na região foi reforçado pela Operação Impacto-Centro, com 120 policiais a mais diariamente, além de mais de 1,5 mil vagas pela Atividade Delegada.

Na área da 1ª Delegacia Seccional (Centro), de janeiro até outubro deste ano, 5.455 infratores foram presos ou apreendidos, número 28,3% maior do que no ano passado, e 114 armas de fogo ilegais foram retiradas das ruas.

Importante destacar ainda que além da prisão dos criminosos os policiais no centro passaram a informar o poder judiciário a respeito dos criminosos que estão descumprindo condições judiciais enquanto cumprem pena ou aguardam julgamento nas ruas.

Só em relação ao centro de São Paulo já foram elaborados mais de 250 comunicações ao Poder Judiciário que aguardam a decisão judicial para regressão do benefício e prisão dos infratores. A título de exemplo, em duas recentes prisões de criminosos que estavam furtando estabelecimentos comerciais, dos 6 criminosos presos, um era procurado e dois estavam nestas condições de descumprimento de medidas”.

Ainda de acordo com o texto, enquanto aguardavam, os policiais fizeram a proteção das pessoas que estavam em um hotel ao lado e se abrigaram para não serem atingidos por objetos lançados contra eles.

A pasta afirma que os agressores, que estavam em motos, se dispersaram quando a viatura de apoio chegou ao local.

De acordo com a polícia, não foi registrado boletim de ocorrência do caso pelo estabelecimento. O g1 entrou em contato com a assessoria do McDonald’s e não havia recebido retorno até a última atualização desta reportagem.

Questionada, a prefeitura afirmou apenas que a Guarda Civil Metropolitana (GCM) compareceu no local da ocorrência, que foi atendida pela Polícia Militar.

Vídeo

Via g1

Veja também
Recentes