Jayme Campos critica projeto de Lúdio e defende Botelho na Assembleia Legislativa

O senador Jayme Campos (União) defendeu o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (União), após um confronto com o deputado estadual Lúdio Cabral (PT). Durante uma sessão na última quarta-feira (3), Botelho e Lúdio discutiram acaloradamente sobre um projeto de lei proposto por Lúdio, resultando em um empurrão de Botelho. A discussão foi transmitida pela TV Assembleia, gerando ampla repercussão.

Defesa de Botelho

Jayme Campos destacou que Botelho é um homem “tranquilo” e justificou sua reação como natural diante de uma provocação. Ele afirmou: “Eu conheço o Botelho e ele é um dos caras mais tranquilos que tem. Ele teve aquela reação espontânea, algo que não sei o que o deputado Lúdio falou para ele, mas é uma reação de qualquer ser humano”. Além disso, Campos sugeriu que Lúdio estava tentando criar uma situação de armação: “Me parece que o deputado Lúdio estava fazendo uma verdadeira armação. Se tem, eu não vi, não provo. Entretanto, eu acho que o deputado Lúdio deve ter exagerado em alguma coisa”.

Contexto do conflito

O conflito surgiu devido a um projeto de lei de Lúdio Cabral, que propõe uma tarifa de R$ 1,00 para o BRT (ônibus de trânsito rápido) em Cuiabá e Várzea Grande. Durante a discussão, Botelho empurrou Lúdio, e o incidente foi registrado em vídeo. Lúdio divulgou a gravação em suas redes sociais, ampliando ainda mais a repercussão do ocorrido.

Críticas ao projeto de lei

Jayme Campos criticou o projeto de Lúdio, classificando-o como “demagogo” e economicamente inviável. “Cá entre nós, com todo respeito ao Lúdio, a proposta não existe. Propor tarifa a R$ 1? Esse tipo de demagogia não prevalece mais na política. O eleitor está sábio e inteligente e você tem que respeitar até a inteligência da sociedade cuiabana. Propor a tarifa a R$ 1 é a verdadeira fake news, é demagogia”, declarou o senador.

O confronto entre Eduardo Botelho e Lúdio Cabral na Assembleia Legislativa de Mato Grosso evidencia as tensões políticas e os desafios na busca de soluções para questões de infraestrutura e transporte público. Jayme Campos, ao defender Botelho e criticar Lúdio por demagogia, destaca a necessidade de debates mais construtivos e propostas viáveis para o desenvolvimento das cidades. Desse modo, a importância de um diálogo político mais racional e menos conflituoso se torna evidente, visando o bem-estar e o progresso da sociedade cuiabana.

Veja também
Recentes