Vídeo mostra erosão na parte de baixo da ponte no Portão do Inferno. Veja Vídeo:

Um vídeo gravado com um drone mostra imagens da erosão existente abaixo da ponte do Portão do Inferno. Pelas imagens, é possível ver um desgaste na sustentação da estrada, que pode colocar em risco a vida de quem passa pela região. A gravação foi exibida pelo presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Sérgio Ricardo, durante audiência pública que debate a situação da MT-251, estrada que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães, realizada na manhã desta sexta-feira (19), na Assembleia Legislativa.

“Temos uma situação grave que está desmoronando faz anos. Mas não adianta achar culpado. Vai resolver o problema agora? Vai liberar o trânsito? Conversei segunda-feira pessoalmente com o governador Mauro Mendes, ele quer resolver isso com a máxima urgência. ‘Me apresentem um projeto aprovado do Ibama, ICMBio, ele está pronto’, declarou o governador. Tem recurso e a Sinfra está pronta para meter máquina”, relatou o conselheiro.

A situação no Portão do Inferno iniciou em dezembro com alguns deslizamentos. Depois, a estrada passou a ficar interditada quando chove e, recentemente, a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) tem mantido a estrada bloqueada pelas manhãs, durante a semana, para colocação de telas de contenção no morro.

Apesar da preocupação para conter os deslizamentos que ocorrem no paredão que fica na encosta da estrada, existe também preocupação com a parte de baixo. A estrada foi construída há cerca de 50 anos e não possui uma drenagem adequada para a região. Porém, esta problemática já existe há pelo menos 15 anos, segundo Sérgio Ricardo. No entanto, ele alega que não se pode parar tudo da noite para o dia. 

Sérgio Ricardo tem liderado o debate sobre o assunto, tendo, inclusive, levado uma comitiva com representantes de todos os órgãos envolvidos na questão para vistoriar a área do Portão do Inferno. Ele cobra a abertura permanente da estrada, mesmo que com apenas uma pista, no esquema pare e siga. Isto, porque segundo ele, Chapada dos Guimarães sofre com o problema e comércios estão fechando, demitindo e ainda afeta o preço dos alimentos que triplicou por conta do valor do frete ter aumentado. 

“O que a gente tem é urgência, Chapada está isolada e não pode ficar isolada, então que se libere um novo cronograma para liberação do trânsito para que uma pista fique permanentemente liberada em pare e siga, o comércio está fechando, tem ocorrido demissões, precisamos buscar uma solução imediata”, declara.

Via LeiaAgora

Veja também
Recentes