Vereadores protestam com nariz de palhaço contra decisão judicial favorável a Emanuel Pinheiro. Veja vídeo:

Nesta quinta-feira (16), vereadores de oposição ao prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), realizaram um protesto inusitado ao usarem narizes de palhaço. A manifestação ocorreu em resposta à decisão judicial que suspendeu os trabalhos da Comissão Processante contra o prefeito. Contudo, o protesto foi impactado pela ausência dos vereadores da base aliada de Pinheiro, resultando na suspensão da sessão.

Via OlharDireto

A intenção dos vereadores oposicionistas era expressar publicamente sua insatisfação com a suspensão das investigações contra o prefeito, mas a falta de quórum impediu o andamento dos trabalhos legislativos. A manifestação se restringiu às entrevistas concedidas aos jornalistas presentes, sem o uso da tribuna para discursos.

Os vereadores críticos ao prefeito alegam que a suspensão da Comissão Processante enfraquece a transparência e a justiça no município. Segundo eles, o uso dos narizes de palhaço simboliza a indignação com o que consideram uma manobra para proteger o prefeito de acusações.

Enquanto isso, a base aliada de Pinheiro, ao não comparecer à sessão, demonstrou um boicote organizado, evitando que a oposição pudesse avançar com suas denúncias. A ausência dos parlamentares da base é vista como uma estratégia para minimizar o impacto das ações da oposição e sustentar a gestão do prefeito.

O cenário político em Cuiabá segue tenso, com todos os 25 vereadores planejando se reeleger nas próximas eleições de 2024, conforme informações do Diário de Cuiabá. Essa movimentação política pode influenciar as decisões e alianças nos próximos meses, especialmente em um ambiente marcado por protestos e acusações.

A situação ressalta a complexidade das relações políticas na capital mato-grossense, onde os interesses eleitorais e as estratégias de poder se entrelaçam, impactando diretamente a governabilidade e a percepção pública das instituições.

Para mais detalhes sobre a situação política em Cuiabá, acesse o Diário de Cuiabá​.

Veja também
Recentes