Vereadora Maysa Leão pede investigação de Paulo Henrique por envolvimento com facção criminosa; veja vídeo:

Vereadora Maysa Leão

A vereadora Maysa Leão (Republicanos) comentou sobre o requerimento assinado e protocolado pelo bloco de oposição na última segunda-feira (10). O documento solicita que a comissão de ética da Câmara Municipal de Cuiabá investigue o vereador Paulo Henrique (MDB), devido a suspeitas de envolvimento com uma facção criminosa.

Gravidade das acusações

Maysa Leão destaca a gravidade das acusações contra Paulo Henrique e reforça que a Câmara não pode permanecer inerte. “Sabemos que os processos judiciais demoram anos. Portanto, temos que abrir um processo interno político na comissão de ética para que ela possa requerer o inquérito policial que segue em segredo de justiça”, afirmou a vereadora.

Operação Ragnatela

A Operação Ragnatela investiga Paulo Henrique por supostas transações pessoais usando a conta bancária do Sindicato dos Agentes de Regulação e Fiscalização do Município de Cuiabá (Sindarf), incluindo a compra de uma bolsa de luxo de R$ 5,9 mil. O vereador nega as acusações, alegando que a compra ocorreu devido a uma rescisão contratual.

Necessidade de investigação

Maysa Leão enfatiza a necessidade de abrir o procedimento para garantir uma resposta adequada à sociedade. “Diante da comissão de ética, essa pessoa que recebeu a bolsa pode depor. Assim, é prudente da nossa parte abrir esse procedimento para que possamos dar uma resposta à sociedade e não cometer uma injustiça contra o vereador”, explicou a vereadora.

Procedimentos na Câmara

Além disso, Maysa Leão comparou o caso atual ao da cassação da vereadora Edna Sampaio. “Apresentamos ontem para o presidente, e ele já despachou na hora. Vai ser lido hoje em sessão. Em seguida, transferimos para a comissão de ética, que tem a responsabilidade de reunir, deferir, dar prosseguimento ou arquivar. Eu acredito que não será arquivado”, afirmou Maysa Leão. Segundo ela, a comissão de ética tem um prazo de 90 dias para conduzir todos os trâmites seguintes.

Conclusão

Em suma, a comissão de ética da Câmara Municipal de Cuiabá abrirá o procedimento para investigar Paulo Henrique. Este processo demonstra o compromisso com a transparência e a responsabilidade, permitindo que todas as partes envolvidas apresentem suas versões e garantindo um julgamento justo e imparcial.

Veja também
Recentes