Rio Piracicaba amanhece com milhares de peixes mortos. Veja vídeo:

Neste domingo (7/7), os moradores da cidade de Piracicaba, no interior de São Paulo, se depararam com uma cena alarmante: milhares de peixes mortos nas margens do rio Piracicaba. A água do rio apresentava uma espuma branca e uma coloração anormal, gerando preocupação entre a população local.

De acordo com a Prefeitura de Piracicaba, a morte dos peixes foi provocada por uma drástica redução na quantidade de oxigênio dissolvido na água, um fenômeno que ocorreu entre 4h e 6h da manhã. Essa falta de oxigênio é letal para a vida aquática, resultando no trágico evento que deixou o rio repleto de peixes mortos.

O rio Piracicaba é o maior afluente do rio Tietê e desempenha um papel vital no abastecimento hídrico do estado de São Paulo. Sua bacia hidrográfica contribui significativamente para o sistema Cantareira, que fornece água para cerca de 46% da população da região metropolitana de São Paulo. Portanto, a saúde do rio é crucial não apenas para a vida aquática local, mas também para milhões de residentes na capital e arredores.

Em resposta ao incidente, a Prefeitura de Piracicaba acionou a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e a Polícia Militar Ambiental para investigar a causa da morte dos peixes. Em nota oficial, a Cetesb informou que técnicos da agência ambiental de Piracicaba estiveram no local e coletaram amostras da água para análise. A companhia garantiu que continuará monitorando o rio de perto para identificar a origem do problema e tomar as medidas necessárias.

Nas redes sociais, moradores expressaram sua preocupação e indignação, cobrando respostas rápidas e eficazes das autoridades. A expectativa é que as análises realizadas pela Cetesb revelem a causa exata da redução de oxigênio, permitindo a implementação de medidas preventivas para evitar futuras ocorrências.

O incidente no rio Piracicaba ressalta a necessidade de um monitoramento ambiental constante e de ações rápidas para mitigar impactos negativos no ecossistema. A investigação em curso deverá esclarecer as causas do evento, contribuindo para a proteção da biodiversidade aquática e a segurança do abastecimento hídrico da região. A comunidade aguarda ansiosa por soluções que garantam a preservação do rio e a saúde pública.

Veja também
Recentes