Qual é a melhor maneira de levar dinheiro nas viagens internacionais em 2022?

Uma das dúvidas mais frequentes para quem vai viajar para fora, é: qual a melhor forma de levar dinheiro em viagens internacionais? As opções mais comuns são: dólar, euro ou outra moeda estrangeira em espécie, cartão de crédito internacional, cartão travel money e, mais recentemente, contas digitais internacionais. Tempos atrás, cheques de viagem também eram muito usados, mas foram substituídos por opções mais práticas e econômicas.

Cada opção tem suas vantagens e desvantagens, além de envolverem custos e riscos diferentes. Nesse post comparamos cada uma delas para te ajudar a escolher a melhor para o seu caso!

Como levar dinheiro para viagens ao exterior
1) Dinheiro em espécie

A forma mais tradicional é levar o dinheiro em espécie. Nesse caso, não tem segredo: basta ir em uma casa de câmbio ou banco e fazer a compra da moeda. O dólar e o euro são as opções mais procuradas pelos turistas devido à sua aceitação mundial. Mas atenção: a cotação pode variar bastante entre uma casa de câmbio e outra, então pesquise antes de fazer a compra. Existem sites como o Melhor Câmbio que ajudam a fazer a pesquisa e, em alguns casos, fazer o pedido online e receber o dinheiro em casa. A compra de moeda estrangeira em espécie é tributada em 1,1% de IOF (Imposto sobre Operação Financeira).

É essencial ter alguma quantidade de moeda estrangeira em espécie, afinal, é muito provável que você precise fazer alguma compra utilizando dinheiro vivo. Além disso, alguns destinos são conhecidos por não terem uma boa aceitação de cartões, como a Argentina, por exemplo. Por outro lado, essa opção é a de maior risco, pois caso perca ou seja roubado, não há como recuperar o dinheiro, o que pode gerar um transtorno e tanto nas suas férias.

Foto: Reprodução
2) Cartão de crédito internacional

Os cartões de crédito internacionais foram por muito tempo a primeira opção para uso em viagens ao exterior pela praticidade, segurança e ainda acúmulo de pontos, milhas ou cashback. Eles são, sem sombra de dúvidas, uma forma prática e segura para pagar pelas despesas em qualquer lugar do mundo e também para situações de emergência. Mas também é a mais cara!

O IOF cobrado nas compras internacionais com o cartão de crédito aumentou bastante e hoje custa 6,38%. Além disso, os clientes são cobrados pelo ágio/spread do banco emissor do cartão. Essa cobrança não é nada transparente pois é embutida na conversão do valor das despesas para o real e pode chegar até 7% do valor gasto. Ou seja, você pode pagar mais de 13% além do que efetivamente gastou só por usar o cartão de crédito, além do risco da variação cambial no período da sua viagem. Você pode ver aqui quanto seu banco cobra acima da cotação oficial!

Devido ao seu alto custo, o cartão de crédito deve ser usado de forma pontual no exterior e não como principal forma de pagamento.

Foto: Reprodução
3) Cartão Travel Money

A maioria das casas de câmbio vendem cartões de viagem pré-pagos, mais conhecidos como cartões “travel money”. É bem provável que ao ir a uma casa de câmbio o atendente fale empolgado dessa opção, como alternativa a moeda em espécie. Mas, não se iluda! Apesar da praticidade, segurança e de evitarem o risco da variação cambial, esses cartões perderam muito espaço quando o IOF cobrado para recarga passou a ser de 6,38%, o mesmo do cartão de crédito no exterior. Só que o Travel Money não oferece nenhum benefícios adicional, como milhas, pontos ou cashback, sendo assim, uma das alternativas menos vantajosas.

Foto: Reprodução
4) Conta digital internacional

No últimos anos, surgiram no mercado contas digitais com saldo em moeda estrangeira, principalmente em dólar. A maioria dessas contas não tem nenhum custo para abertura ou manutenção, oferecem uma cotação mais competitiva do que comprar moeda em espécie ou utilizar o cartão de crédito e incidem o IOF de apenas 1,1%. As mais comuns no Brasil são a Nomad, a Wise e a C6.

Funciona assim: você faz a abertura da conta no Brasil, sem sair de casa e envia fotos dos documentos solicitados, aguarda a aprovação da abertura da conta e pronto! Depois é só enviar dinheiro da sua conta em reais no Brasil para a conta em dólar, cadastrar o cartão de débito internacional nas carteiras digitais e viajar! Na hora de fazer a remessa você sabe exatamente quanto irá receber na conta e não há mais nenhuma cobrança extra ao utilizar o saldo fazendo compras com o cartão.

Via Melhores Destinos

Veja também
Recentes