Putin anuncia mobilização parcial de militares na reserva

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou na manhã desta 4ª feira (21.set.2022) uma “mobilização parcial” no país. A mudança de estratégia ocorre no momento em que Moscou está perdendo territórios conquistados para a Ucrânia.

“Estamos falando de mobilização parcial, ou seja, apenas cidadãos que estão atualmente na reserva estarão sujeitos a recrutamento –acima de tudo, aqueles que serviram nas forças armadas e têm uma certa especialidade militar e experiência relevante”, disse Putin em pronunciamento na TV. Ele completou sua fala afirmando que assinou um decreto regulamentando a medida.

O presidente russo justificou a mobilização parcial com supostas ameaças que o seu país tem recebido. Disse ser necessário “proteger nossa terra natal, soberania e integridade territorial, para garantir a segurança de nosso povo e pessoas nos territórios libertados”.

Em outro sinal de que a Rússia se prepara para um conflito prolongado, a Câmara Baixa da Assembleia Federal russa aprovou na 3ª feira (20.set) o endurecimento das leis contra deserção, rendição e saques pelas tropas russas. Os soldados que se recusarem a lutar estarão sujeitos a penas de prisão de 10 anos. O texto precisa ser aprovado na Câmara Alta e sancionado por Putin para entrar em vigor.

REFERENDO

Na 3ª feira (20.set), as regiões de Luhansk, Kherson, Zaporizhzhia e Donetsk anunciaram que vão realizar referendos para perguntar à população sobre possível anexação à Rússia. A votação deve ser iniciada na 6ª feira (23.set).

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse em vídeo publicado nas redes sociais que tem muitas questões a respeito dos referendos, mas enfatizou que eles não mudarão o compromisso da Ucrânia em retomar as áreas ocupadas pelas forças russas.

Zelensky disse na semana passada que a Ucrânia recuperou 6.000 quilômetros quadrados do seu território controlado pela Rússia.

Via Poder 360

Veja também
Recentes