Mulherdepreso: Conheça a rotina das casadas com detentos. Veja vídeo:

A vida de mulheres casadas com detentos, conhecidas nas redes sociais como “cunhadas”, ganhou visibilidade por meio da hashtag #MulherDePreso. Esse movimento se tornou um fenômeno online nos últimos anos, onde essas mulheres buscam apoio e expressam suas experiências diárias.

Via Metrópoles

Muitas dessas mulheres, ao compartilhar suas rotinas nas redes sociais, buscam se sentir menos solitárias e mais acolhidas. Este compartilhamento serve também como um meio de auxiliar outras que enfrentam situações semelhantes. Através de plataformas como o TikTok, elas encontram uma comunidade que entende suas lutas e desafios diários.

Amanda Pereira, uma manicure de 24 anos do interior de São Paulo, é um exemplo notável dentro dessa comunidade. Ela usa o TikTok para detalhar sua vida cotidiana, que descreve como “não fácil” e “solitária”. Amanda compartilha como ela gerencia sozinha as responsabilidades do lar, da criação de seu filho e dos cuidados com o carro, enquanto seu companheiro cumpre pena. Sua história é marcada por desafios significativos, especialmente após o fechamento de sua tabacaria durante a pandemia, evento que precipitou o retorno do companheiro ao crime em um momento de desespero financeiro e pessoal.

O movimento #MulherDePreso não apenas oferece um espaço para o compartilhamento de experiências pessoais, mas também chama atenção para as complexidades e dificuldades enfrentadas por essas mulheres. Ao abrir suas vidas para o mundo, elas desafiam estereótipos e ampliam a discussão sobre as consequências sociais do encarceramento.

Amanda e muitas outras como ela mostram a realidade muitas vezes invisível das famílias dos detentos. Enquanto lutam com as adversidades do dia a dia, essas mulheres encontram na comunidade online uma válvula de escape e um sistema de suporte vital, evidenciando a força e resiliência humanas em face de circunstâncias extremamente desafiadoras.

Veja também
Recentes