Estudantes empurram ônibus escolar atolado na lama, imagens circulam na web. Veja vídeo:

Na manhã da última quinta-feira (6/6), estudantes de uma escola em Santo Amaro, na Bahia, foram flagrados em uma situação inusitada e preocupante: empurrando um ônibus escolar atolado na lama. O incidente ocorreu enquanto o veículo transportava os alunos para a escola na zona rural de Jambeiro, revelando problemas graves na infraestrutura viária local.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento em que as crianças, ainda com mochilas, se veem obrigadas a empurrar o ônibus da Prefeitura, preso em uma estrada enlameada. Durante a gravação, o narrador critica duramente a administração municipal, pedindo providências para melhorar as condições das estradas. Ele ironiza a situação, comparando o esforço das crianças ao empurrar o ônibus a empresas de telecomunicação “empurrando” seus concorrentes.

Em resposta ao ocorrido, a Prefeitura de Santo Amaro emitiu uma nota afirmando que as intensas chuvas recentes dificultaram a realização de obras nas estradas locais. A administração municipal destacou que enviou uma equipe para realizar reparos paliativos e que está tomando medidas para resolver definitivamente o problema.

Santo Amaro, uma cidade do Recôncavo Baiano, enfrenta desafios significativos em sua infraestrutura viária, especialmente nas áreas rurais. A combinação de chuvas intensas e solo massapê, característico da região, contribui para a deterioração rápida das estradas​. Essa situação é agravada pela necessidade de manutenção constante, que muitas vezes não é realizada com a celeridade necessária.

Incidentes como esse evidenciam a importância de investimentos em infraestrutura para garantir a segurança e o bem-estar dos estudantes e da população em geral. A melhoria das estradas rurais não só facilita o transporte escolar, mas também impacta positivamente a economia local e a qualidade de vida dos moradores.

A Prefeitura de Santo Amaro afirma estar ciente do problema e trabalhando para implementar soluções mais duradouras, mas a comunidade aguarda ações concretas que evitem a repetição de cenas como a registrada nesta semana​.

Veja também
Recentes