Arara símbolo do Pantanal mato-grossense desaparece de propriedade e é encontrada com asas cortadas. Veja vídeo:

A arara-canindé, apelidada carinhosamente de Serena, desapareceu de um restaurante às margens do Rio Papagaio, entre Sapezal e Campo Novo do Parecis. Serena, que costumava passar seus dias no local, foi encontrada dois dias depois com as asas cortadas, em uma fazenda no município. O caso gerou grande comoção na comunidade local e entre os frequentadores do restaurante.

A proprietária do restaurante, Elzileide Zimmermann, relatou ao G1 que ela e seu marido receberam uma ligação informando sobre o paradeiro de Serena. Ao chegarem à fazenda, encontraram a ave com as penas das asas cortadas pela metade, impossibilitando-a de voar. “Ainda não sabemos quem foi o responsável por isso”, disse Elzileide. Ela também mencionou que muitas araras costumam frequentar a propriedade devido ao ambiente agradável da região.

Serena não é apenas uma ave qualquer; ela é uma figura conhecida entre os turistas que visitam a região para atividades de rafting. Segundo Samara Zimmermann, guia de rafting, Serena frequentemente acompanha os grupos de turistas, voando sobre as corredeiras e pousando nas cabeças dos visitantes​​.

A arara-canindé (Ara ararauna) é uma espécie comum no Brasil, habitando biomas variados, incluindo a Mata Atlântica e o Cerrado. Embora não esteja atualmente ameaçada de extinção, enfrenta desafios significativos devido à destruição de seu habitat e à ação humana​​.

O caso de Serena destaca a necessidade de maior conscientização e proteção das aves selvagens. Ações como cortar as asas de aves são prejudiciais e podem ter sérias consequências para o bem-estar dos animais. A comunidade local está vigilante e espera que o responsável pelo corte das asas de Serena seja identificado e responsabilizado, garantindo que tais atos não se repitam.

Veja também
Recentes