Após morte de cachorro, jovem manda empalhar aninamal: “Deixa no meio da sala”. Veja vídeo:

A história de um tutor que decidiu empalhar seu cachorrinho após a morte do animal gerou polêmica e debates nas redes sociais. A decisão foi motivada pelo profundo amor que ele sentia pelo pet e pelo desejo de manter viva a lembrança dos momentos felizes que compartilharam juntos. Agora, o cachorrinho empalhado ocupa um lugar de destaque na sala de estar da casa, servindo como uma recordação constante dos dias perfeitos que viveram.

A namorada do tutor decidiu registrar em vídeo os detalhes do cachorro empalhado, compartilhando a história com um público mais amplo. No vídeo, ela mostra o cachorrinho empalhado exposto no meio da sala, uma escolha que imediatamente chamou a atenção e provocou diversas reações. “Deixa no meio da sala”, comentou ela no vídeo, demonstrando apoio à decisão do namorado.

Além do cachorrinho empalhado, o tutor tomou outras medidas para preservar a memória do seu amado pet. Ele guarda o crânio do animal e chegou a criar um colar com as vértebras, que agora fazem parte de sua coleção pessoal. O coração do cachorrinho também foi transformado em um item decorativo, reforçando o quão significativo o pet era em sua vida.

A decisão de empalhar o cachorro e transformar partes de seu corpo em itens de decoração dividiu opiniões. Enquanto alguns consideram a atitude uma demonstração extrema de amor e apego, outros veem como uma prática mórbida e desnecessária. A controvérsia gerada pelo vídeo da namorada do tutor reflete essa divisão, com comentários variados que vão desde apoio incondicional até críticas severas.

Essa história nos leva a refletir sobre como lidamos com a perda e as diferentes formas de manter viva a memória de entes queridos, incluindo nossos animais de estimação. Embora a empalhação seja uma prática incomum, ela destaca a profundidade do vínculo entre humanos e seus pets e como esse laço pode influenciar decisões após a morte do animal.

Veja também
Recentes
Memes do vovô
Memes do vovô
Memes do vovô